Governo do DF lança Plano Safra 2016/2017

Agricultores, produtores rurais e entidades do setor acompanharam o lançamento do Plano Safra Brasília 2016/2017. No total, 352,5 milhões de reais serão disponibilizados para o desenvolvimento rural da região.

O coordenador da Federação dos Trabalhadores na Agricultura Familiar do Distrito Federal, Adaildo Porfírio, afirmou que os recursos são fundamentais para os trabalhadores rurais. Opinião compartilhada por Lúcio Pereira, presidente da Cooperativa Agropecuária de São Sebastião, região administrativa de Brasília. Pereira, que assumiu recentemente a entidade após o afastamento do antigo presidente, afirma que sem o incentivo de crédito, a existência da cooperativa está ameaçada.

267,7 milhões de reais estão destinados ao crédito rural. Do Governo Federal, 249,6 milhões serão para pequenos e médios produtores e para a agricultura empresarial, e 9,2 milhões serão para a agricultura familiar. Do Governo do Distrito Federal, 8,9 milhões vão para o crédito e microcrédito. Outros 84,8 milhões vão para o desenvolvimento rural, para áreas como fomento, infra-estrutura, assistência técnica, abastecimento e comercialização.

A Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Distrito Federal, Emater/DF, lançou – durante a cerimônia – o programa Jovem Empreendedor Rural, que busca fomentar perspectivas de geração de renda aos moradores do campo que têm entre 15 e 29 anos. O programa ‘Associar e Cooperar’, gerenciado também pela Emater/DF, também foi lançado durante o evento. A iniciativa busca promover o fortalecimento de aspectos do cooperativismo e associativismo em 4 associações de produtores rurais selecionadas pelo governo.

Também foi anunciado o envio à Câmara Legislativa de um Projeto de Lei que busca efetivar a regularização fundiária das terras públicas utilizadas por produtores rurais em todo o Distrito Federal. Segundo o governador Rodrigo Rollemberg, esse PL – se aprovado – dará segurança jurídica aos produtores, permitindo que eles continuem “alimentando o campo e a cidade”.

Anúncios

Curtas

  • Os preços internacionais dos principais produtos alimentares apresentaram ligeiro declínio em julho, após cinco meses consecutivos de aumento. O índice de preços de alimentos da FAO, a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, ficou em 161,9 pontos no último mês, uma queda de 0,8% (1,3 ponto) em relação a junho e 1,4% menos que no mesmo mês de 2015.
  • O estoque de suco de laranja pode atingir os níveis mais baixos da história, por baixa oferta de matéria-prima. Segundo a Associação Nacional dos Exportadores de Sucos Cítricos, em 30 de junho, haviam 351,56 mil toneladas de reservas do produto para a transição entre as safras 2015/2016 e 2016/2017, um volume 31% menor que as 510,39 mil toneladas do ciclo anterior. Caso a demanda seja mantida, as reservas podem chegar em junho de 2017 com 2,06 mil toneladas, uma retração de 99%.
  • A exportação de carne bovina in natura e processada registrou queda de 6% em julho em comparação com o mesmo mês de 2015. Foram 105.041 toneladas embarcadas em 2016, e 111.835 em 2015. A Associação Brasileira de Frigoríficos afirmou que o “mercado externo preocupa”.